Projetos Sociais e Criatividade Humana

Acreditamos que cada ser, sem exceção, tem um papel a desempenhar na criação de uma nova cultura.

A missão de SoulCrafters é valorizar iniciativas sociais artesanais que celebram a criatividade humana, trazendo visibilidade a projetos que oferecem novas oportunidades a pessoas talentosas mas que de alguma forma não estão incluídas na sociedade.

VIDRO COM VIDA

O projeto VIDRO COM VIDA desenvolve oficinas que ensinam a transformação de vidro descartado em acessórios. A iniciativa gera renda para a comunidade de baixa renda do Morro da Queimada, em Florianópolis, que recebe aulas gratuitas e têm suas criações vendidas em diferentes pontos da cidade.

ATELIER MIMI WOLF

A missão do ATELIER MIMI WOLF é transmitir conhecimentos às mulheres em privação de liberdade da penitenciária de Florianópolis, em um atelier de criação, corte e costura montado dentro da própria prisão.

ATELIER DE IDEIAS

No ATELIER DE IDEIAS, resíduos descartados são transformados em acessórios e objetos de decoração. Além do trabalho de reciclagem, o atelier criou recentemente os Armários Coletivos, onde roupas e objetos usados são colocados a disposição de quem precisa.

ARTHIS

A renda de bilro é uma das mais importantes manifestações culturais do sul do Brasil. O projeto ARTHIS tem o desafio de preservar este inestimável tesouro e transmitir esta arte ancestral às novas gerações, para que esta perdure e não caia no esquecimento.

L’AFRIKANA

A L’AFRIKANA começou sua historia em Kabiria, favela da cidade de Nairobi, no Quênia. Inicialmente, ela oferecia curso de costura a refugiados de guerra, sendo também uma marca de roupas e decoração. Hoje, mais do que uma marca social, a L’afrikana tem por objetivo dar visibilidade ao trabalho de diversos artesãos refugiados tanto no Quênia quanto no Brasil, disseminando criações africanas inovadoras e de qualidade.

CENTRO EDUCADIONAL PARA CRIANÇAS DEFICIENTES

O Centro Educacional para Crianças Deficientes do distrito 4 de Ho Chi Minh, no Vietnã, ajudou no desenvolvimento de mais de 100 crianças deficientes, a maioria delas autistas ou surdas. Uma das atividades terapêuticas desempenhadas pelas professoras e alunos é o feitio de acessórios como bolsas e chaveiros de miçanga.